terça-feira, 6 de maio de 2014

PASSA O TEMPO E O TEMPO PASSA

É manha de domingo; meu telefone toca, chegou mensagem, hum... Já imaginava, é você me desejando um bom dia.  Agora o relógio marca quase meio dia, escuto o telefone tocando, olha só, é você me ligando pra dizer que o seu almoço está a minha cara.

Tem alguém chamando na porta, que surpresa agradável, você veio me ver e ainda trouxe um presentinho só porque ao passar pela rua viu e achou a minha cara.

A noite está chegando; com ela, chega também uma nova mensagem, você pedindo pra que eu olhe a Lua, é, de fato, ela está linda. Sabe, eu adoro te encontrar, olhar nos teus olhos, sentir o teu abraço e saber que não estou só.

É manhã de domingo; o telefone toca, chegou uma mensagem, olho, mas não é você. O relógio já marca quase meio dia, e parece que seu almoço não tem mais a minha cara.

Alguém está chamando na porta, nossa! Que surpresa! Não era você. E ando desconfiando que não te recordas mais do caminho de minha casa, e parece que as coisas da rua, já não se parecem mais comigo; eu já não sei se foi eu que mudei, ou se me mudaste de lugar, talvez as coisas tenham mudado de cor.

Já é noite, e ela está tão escura, a Lua parece se esconder. Aonde está você? Aonde estão os teus olhos? Aonde está o teu abraço? Enfim, Eu olho pra o lado e não te vejo, o que vejo, é que estou só.

Passa o tempo e o tempo passa, passam coisas e passam cores, quem não fica, passa, e quem passa nunca veio pra ficar, não criou raízes, pode até ter encantado, mas encanto sem amor é tão difícil de vingar!

Mas, dos vários que passaram, um ou dois vão ficar, vão criar raízes, vão se eternizar. Agora, dizer quem são esses, só o passar do tempo é que pode revelar.


Por Abrahão Filho

Nenhum comentário:

Postar um comentário