quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

CULTIVO DE HORTAS OCUPA TEMPO E MENTE DE REEDUCANDOS DO ESTADO


O cultivo de hortas para o próprio consumo parece difícil para muitas pessoas, seja pelo espaço físico ou pelos cuidados diários requeridos a cada hortaliça, legume ou fruta. Para os reeducandos das unidades prisionais plantar, colher e consumir fazem parte da rotina. A Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), vinculada à Justiça e Direitos Humanos (SJDH), com o apoio dos gestores das unidades prisionais, tem incentivado a atividade laboral dos detentos nas hortas.

De 22 penitenciárias e presídios do estado, dez contam com hortas. Macaxeira, manga, maracujá, mamão, coco, coentro, alface são alguns dos alimentos cultivados por reeducandos que também têm o direito de consumi-los durante as refeições. A iniciativa, além de fortalecer para reconstrução dos laços sociais e de servir como terapia, oferece aprendizado profissional para os detentos que pode ser utilizado quando alcançarem a liberdade. A Colônia Penal Feminina de Buíque (CPFB), no Agreste, a Penitenciária Agroindustrial São João (PAISJ), em Itamaracá, e a Penitenciária Doutor Edvaldo Gomes (PDEG), em Petrolina, já ofereceram cursos aos detentos voltados para a área como teoria e prática em hortaliças e olericultura.  

Na PAISJ há em torno de oito hectares de terra para plantio. Os reeducandos contam com a supervisão de um funcionário especializado em agropecuária para que o trabalho seja feito corretamente. “Através do cultivo os reeducandos ocupam o tempo, a mente e adquirem noções que poderão ser exploradas quando estiverem em liberdade”, destaca o secretário-executivo de Ressocialização, Cícero Rodrigues.

O reeducando João Franco é o responsável pela horta do Presídio de Igarassu (PIG) e trabalha na plantação com mais nove detentos. “Hoje a gente tem uma horta que é de admirar, através dela que conquistamos o curso de jardinagem, no Sebrae, e para mim foi muito bom porque tenho um sítio lá fora e o curso que fiz vai servir”, conta. Há em torno de 140 pessoas privadas de liberdade trabalhando nas hortas das dez UPs.

Unidades prisionais que têm horta:

Região Metropolitana do Recife – Penitenciária Agroindustrial São João, Presídio de Igarassu, Penitenciária Professor Barreto Campelo, Presídio Juiz Antonio Luiz Lins de Barros, Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico e Colônia Penal Feminina de Abreu e Lima.

Interior – Penitenciária Doutor Edvaldo Gomes, Centro de Ressocializção do Agreste, Presídio de Vitória de Santo Antão e Colônia Penal Feminina de Buíque.  

​Fotos: Divulgação​.

Fonte: www.pe.gov.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário