TÚNEL DO TEMPO: ADUTORA PAJEÚ RAMAL POVOADO AMBÓ A BREJINHO

08 DE JANEIRO DE 2013

ADUTORA DO PAJEÚ (PE) JÁ CONTEMPLA 100 MIL HABITANTES

FONTE: pac.gov.br (clique aqui)

Em fase de testes, a Adutora do Pajeú, localizada no sertão de Pernambuco (PE), já contempla com água tratada cerca de 100 mil moradores do município de Serra Talhada. O empreendimento, que conta com o investimento de R$ 500 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), faz parte do conjunto de ações do governo federal para garantir maior oferta de água aos sertanejos.

Nessa segunda-feira (7), o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, esteve na adutora para acompanhar o andamento das obras. O Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (DNOCS), órgão vinculado ao Ministério da Integração, é responsável pela execução do projeto.

De acordo com a coordenadora do DNOCS em PE, Rosana Silva, a expectativa é de que a água chegue também a Afogados da Ingazeira até junho deste ano. “Nesta fase inicial de funcionamento, a Adutora do Pajeú direciona a água para a estação de tratamento da Compesa (Companhia Pernambucana de Saneamento) - que a distribui para a população. Os testes são essenciais para garantir a eficiência do sistema de abastecimento e distribuição de água”, explicou.

Dividida em duas etapas, a Adutora do Pajeú terá a vazão total de 830,7 litros por segundo e é uma obra voltada para o abastecimento humano. Após sua conclusão, mais de 500 mil pessoas serão beneficiadas. A Etapa I estará entre os municípios pernambucanos de Floresta e Afogados da Ingazeira. Já a Etapa II abrange o sertão pernambucano e segue para a Paraíba.

Este sistema adutor terá cerca de 600 km e contemplará 32 localidades, entre eles, 20 municípios de Pernambuco (Floresta, Betânia, Carnaubeira da Penha, Serra Talhada, Calumbi, Triunfo, Santa Cruz da Baixa Verde, Flores, Carnaíba, Quixaba, Afogados da Ingazeira, Iguaraci, Ingazeira, Solidão, Tabira, Tuparetama, Santa Terezinha, São José do Egito, Itapetim e Brejinho).

Além destes, ainda três distritos (Canaã, em Triunfo; Tupanaci, em Mirandiba; e Riacho do Meio, em São José do Egito) - e o povoado de Nazaré do Pico, em Floresta. Todos eles inseridos na bacia do rio Pajeú. A Paraíba tem também outros oito municípios beneficiados pela Adutora do Pajeú (Princesa Isabel, Imaculada, Desterro, Livramento, São José dos Cordeiros, Taperoá, Teixeira e Cacimbas).

(Com informações do Ministério da Integração Nacional)

 

19 DE ABRIL DE 2013

HUGO MOTTA SOLICITA AGILIDADE NA CONSTRUÇÃO E INCLUSÃO DE NOVOS MUNICÍPIOS

FONTE: hugomotta.com.br(clique aqui)

 Por Gilclécio Lucena.

O deputado federal Hugo Motta (PMDB-PB), juntamente com o Prefeito de Teixeira-PB, Nêgo de Guri (PMDB-PB), solicitou do Ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, agilidade na conclusão do Sistema Adutor do Pajeú.

A obra, que possui extensão de 600 Km, teve sua primeira etapa inaugurada pela presidente Dilma Roussef no mês de março deste ano e atende apenas municípios do Estado de Pernambuco. “Esse é um pleito antigo da população e é necessário que a união de forças seja constante para que possamos ter esse benefício o mais rápido possível. A adutora, quando concluída, será destinada ao abastecimento de água para 28 municípios dos estados de Pernambuco e Paraíba e estamos lutando, mas já com a garantia do Ministro, de que teremos essas águas chegando ao município de Teixeira”, relatou Hugo Motta.

O parlamentar anunciou ainda que conseguiu junto ao Ministério da Integração Nacional a inclusão do município de Maturéia entre os beneficiados com a adutora. “Foi uma grande conquista, pois conseguiremos atingir um número maior de beneficiados. A seca é uma característica climática, mas os efeitos dela, através da garantia de abastecimento pela adutora, estarão sanados”, comemorou.

Apesar da conquista, Hugo Motta afirmou que ainda vai lutar para garantir a inclusão da cidade de Mãe D’água. “Não podemos nos acomodar. Se houver viabilidade técnica e disponibilidade de recursos, vamos brigar para que Mãe D’água seja incluída. Os paraibanos, o povo nordestino como um todo, não podem continuar esquecidos e recebendo benefícios aos poucos”, pontuou.

O Sistema Adutor do Pajeú vai contemplar mais de 500 mil pessoas, habitantes das cidades de 20 municípios de Pernambuco (Floresta, Betânia, Carnaubeira da Penha, Serra Talhada, Calumbi, Triunfo, Santa Cruz da Baixa Verde, Flores, Carnaíba, Quixaba, Afogados da Ingazeira, Iguaraci, Ingazeira, Solidão, Tabira, Tuparetama, Santa Terezinha, São José do Egito, Itapetim e Brejinho). Além destes, ainda três distritos (Canaã, em Triunfo; Tupanaci, em Mirandiba; e Riacho do Meio, em São José do Egito) – e o povoado de Nazaré do Pico, em Floresta. Todos eles inseridos na bacia do rio Pajeú. A Paraíba tem também outros oito municípios beneficiados pela Adutora do Pajeú (Princesa Isabel, Imaculada, Desterro, Livramento, São José dos Cordeiros, Taperoá, Teixeira, Cacimbas e, agora, Maturéia).

 

21 DE DEZEMBRO DE 2013

EMPRESA QUE DEVE EXECUTAR OBRAS DA SEGUNDA ETAPA DA ADUTORA DO PAJEÚ É ESCOLHIDA

FONTE: blogs.ne10.uol.com.br (Clique Aqui)



A comissão de licitação da superintendência do Departamento de Obras Contra da Seca (Dnocs), vinculada ao Ministério da Integração Nacional, abriu na sexta-feira (20), em Pernambuco, as propostas para execução da segunda etapa da Adutora do Pajeú, obra orçada em R$ 89,9 milhões. Das quatro propostas apresentadas, a Cisal Construtora ofereceu desconto de 5,11% para execução da obra e foi classificada.

As outras empresas presentes na licitação em Regime Diferenciado de Contratações (RDC) foram o Consórcio Ecocil, a MRM Construtora e a Imobiliária Rocha. A MRM Construtora foi classificada como a segunda melhor proposta, com desconto de 1,5%. O Consórcio Ecocil ofereceu desconto de 0,5% e a Imobiliária Rocha não ofereceu desconto.

Em três dias úteis, a Cisal Construtora deverá apresentar ao Dnocs uma proposta com o desconto linear de 5,11% nos preços envolvidos na execução da segunda etapa da adutora, para análise da comissão de licitação. O passo seguinte será analisar os documentos da construtora para habilitação e autorizar a ordem de serviço para o início das obras.

A segunda etapa do projeto beneficiará 229 mil habitantes em 16 localidades de Pernambuco: as sedes dos municípios de Betânia, Carnaubeira da Penha, Triunfo, Santa Cruz da Baixa Verde, Quixaba, Iguaraci, Ingazeira, Solidão, Tabira, Tuparetama, Santa Terezinha, São José do Egito, Itapetim e Brejinho, além dos distritos de Tupananci, no município de Mirandiba, e Riacho do Meio, em São José do Egitoe.

Na Paraíba, serão abastecidas as sedes dos municípios de Imaculada, Desterro, Livramento, São José dos Cordeiros, Taperoá, Princesa Isabel, Teixeira e Cacimbas.

O projeto prevê ainda duas unidades de captação no Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF), nos municípios de Betânia (PE) e Sertânia (PE), 13 estações elevatórias, mais de 400 km de adutoras, com diâmetro de 100 a 700 mm, 11 reservatórios, com capacidade unitária variando de 200 a 7 mil metros cúbicos.

 

22 DE MARÇO DE 2014

MRM ASSUME ADUTORA DO PAJEÚ

FONTE: www.impresso.diariodepernambuco.com.br (clique aqui)

ANDRÉ CLEMENTE: andreclemente.pe@dabr.com.br


O resultado da licitação da construção da segunda etapa de obras da Adutora do Pajeú sofreu um revés. A empresa vencedora no primeiro resultado apresentou dados incorretos à comissão de licitação da superintendência do Departamento de Obras Contra da Seca (Dnocs), vinculada ao Ministério da Integração Nacional, e foi eliminada. A MRM Construtora, a segunda colocada, assumiu o posto.

A etapa tem orçamento de R$ 89,9 milhões e a construtora ofereceu um desconto de 1,5% do custo para realizar o projeto. A primeira havia ofertado 5,11% de redução para realizar o serviço. Agora, a MRM aguarda outra licitação para poder tocar a obra. A contratação da empresa que vai fornecer os tubos da Adutora deve sair na próxima semana. Essa decisão é pré-requisito para a assinatura da ordem de serviço e o projeto poder sair do papel.

A segunda etapa do projeto da Adutora do Pajeú vai beneficiar 229 mil habitantes em 16 localidades de Pernambuco: as sedes dos municípios de Betânia, Carnaubeira da Penha, Triunfo, Santa Cruz da Baixa Verde, Quixaba, Iguaraci, Ingazeira, Solidão, Tabira, Tuparetama, Santa Terezinha, São José do Egito, Itapetim e Brejinho, além dos distritos de Tupananci, no município de Mirandiba, e Riacho do Meio, em São José do Egito. Na Paraíba, serão abastecidas as sedes dos municípios de Imaculada, Desterro, Livramento, São José dos Cordeiros, Taperoá, Princesa Isabel, Teixeira e Cacimbas.

O projeto total da adutora tem orçamento previsto de R$ 400 milhões e prevê, ainda, duas unidades de captação no Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco, nos municípios de Betânia (PE) e Sertânia (PE), 13 estações elevatórias, mais de 400 km de adutoras, 11 reservatórios, com capacidade unitária variando de 200 a 7 mil metros cúbicos.

 

19 DE AGOSTO DE 2015

VICE-PREFEITO E VEREADOR DE TAPEROÁ MOBILIZAM POLÍTICOS EM TORNO DA ADUTORA DO PAJEÚ

FONTE: www.taperoa.com (clique aqui)



O vice-prefeito de Taperoá Júnior de Preto e o vereador Antônio Vicente concederam entrevista nesta quarta-feira (19) ao Jornal da IND e conclamaram as lideranças políticas dos municípios que serão beneficiados com a Adutora do Pajeú para pressionar a conclusão da obra. Os líderes taperoaenses estão organizando uma audiência da Frente Parlamentar da Água em Taperoá para discutir o projeto e sua vinda às cidades paraibanas.

As lideranças estiveram recentemente nas obras da Adutora em Pernambuco e disse que os trabalhadores estão atuando. Eles, entretanto, acreditam que uma pressão por parte da população e dos políticos paraibanos pode apressar sua conclusão e impedir que a obra seja paralisada por conta da crise em curso no País.

Com 400 km de extensão, a segunda etapa da adutora vai levar água de qualidade para moradores de municípios de Pernambuco (Betânia, Brejinho, Carnaubeira da Penha, Iguaraci, Ingazeira, Itapetim, Quixaba, Santa Cruz da Baixa Verde, Santa Terezinha, São José do Egito, Solidão, Tabira, Triunfo, Tuparetama, e distrito de Tupanaci, em Mirandiba). Na Paraíba, serão beneficiados os moradores das cidades de Princesa Isabel, Imaculada, Desterro, Livramento, São José dos Cordeiros, Taperoá, Teixeira e Cacimbas.

A audiência, segundo os líderes taperoaenses, ainda não tem data agendada, mas acontecerá em breve segundo confirmação dos deputados João Henrique, que representa a região do Cariri, e de Jeová Campos, presidente da Frente Parlamentar da Água. Deputados federais, senadores, prefeitos, vereadores e líderes de todo o Estado serão convidados para o encontro.

Paraíba Informa / De Olho no Cariri

 

27 DE JULHO DE 2017

EMPRESA RETIRA TUBOS DE CANAL DA SEGUNDA ETAPA DA ADUTORA DO PAJEÚ

FONTE: nilljunior.com.br (clique aqui)



A novidade do dia foi a retirada dos tubos da segunda etapa da Adutora do Pajeú, margeando a PE 275, em Itapetim, pela empresa MRM. Detalhe, a empresa está retirando os tubos das valas onde eles já haviam sido colocados. A operação está sendo interpretada como um recado por falta de repasses à empresa.

A operação é tão radical e agressiva que tem chamado a atenção do prefeito Adelmo Moura. Ele tentou acionar o promotor Lúcio Almeida, que tem participado de debates junto ao Ministério da Integração Nacional, mas evitou ao saber que o promotor está sem condições em virtude do falecimento de sua mãe.

A empresa ganhou a licitação da segunda etapa da Adutora em 2014, quando houve o resultado publicado no Diário Oficial da União.  A primeira etapa evitou o colapso no abastecimento de água de importantes cidades pernambucanas, como Serra Talhada e Afogados de Ingazeira.

A segunda etapa levará água do Rio São Francisco para as sedes dos municípios de Betânia (PE), Carnaubeira da Penha (PE), Triunfo (PE), Santa Cruz da Baixa Verde (PE), Quixaba (PE), Iguaraci (PE), Ingazeira (PE), Solidão (PE), Tabira (PE), Tuparetama (PE), Santa Terezinha (PE), São José do Egito (PE), Itapetim (PE) e Brejinho (PE), além dos distritos deTupananci, no município de Mirandiba (PE), e Riacho do Meio, em São José do Egito (PE). Na Paraíba, serão abastecidas as sedes dos municípios de Imaculada, Desterro, Livramento, São José dos Cordeiros, Taperoá, Princesa Isabel, Teixeira e Cacimbas.

O projeto da prevê duas unidades de captação no Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF) nos municípios de Betânia (PE) e Sertânia (PE), 13 estações elevatórias, mais de 400 quilômetros de adutoras com diâmetro de 100 a 700 milímetros, 11 reservatórios com capacidade unitária variando de 200 a 7.000 metros cúbicos.

Em julho do ano passado, o Ministro Hélder Barbalho sinalizou com a garantia da celeridade do projeto. Houve também garantia de ações para fazer andar os ramais de Ingazeira, Itapetim, Brejinho, Tavares na Paraíba a sequência até Taperoá.

Em maio deste ano, uma reunião do promotor Lúcio Almeida Neto teve reunião com a área técnica, a partir do Chefe de gabinete Gustavo Canuto,   Arystofales Rafael (Assessor Jurídico ) e o Diretor do Departamento de Projetos Estratégicos Antônio Luitgards Moura conduziu a reunião.

A informação foi de que para a Adutora do Pajeú em sua segunda etapa, houve garantia para de que a obra não iria parar nos próximos quatro meses, com liberação de R$ 45 milhões anunciada pelo Ministério, divididas entre as empresas Sangoban, dos tubos, e MRM, da execução. “Mas ainda há um longo caminho a percorrer. São cerca de R$ 20 milhões para o Ramal de Sertânia e R$ 19 milhões para o de Santa Terezinha”, disse o promotor.

 

31 DE MARÇO DE 2021

NO DIA DA EMANCIPAÇÃO, PREFEITO ANUNCIA RAMAL DA ADUTORA PARA BREJINHO

FONTE: nilljunior.com.br (clique aqui)



O prefeito de Brejinho, Gilson Bento, anunciou ação que se considera a maior obra hídrica da história do município.

O ramal de seis quilômetros de extensão, da adutora do Pajeú, no trecho do Ambó, até o município, fruto de parceria com a Compesa .

A obra representa atualmente o maior anseio da população local, diante da escassez de água, que sempre maltratou os munícipes.

“Essa adutora representa o pontapé inicial de uma gestão de sucesso. Juntamente com o povo, ouvindo todos, iremos implementar quatro anos de muito trabalho em nossa cidade”, comemorou o prefeito em nota”.


04 DE ABRIL DE 2021

INICIADO LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO PARA RAMAL DE ADUTORA EM BREJINHO

FONTE: nilljunior.com.br (clique aqui)



Foi dado início ao levantamento topográfico para o ramal de seis quilômetros da Adutora do Pajeú para abastecer o município de Brejinho.

O ramal pega o trecho do Ambó na Adutora do Pajeú até o município.  O anúncio foi feito em rede social pelo prefeito Gilson Bento.

Na festa de 57 anos do município o gestor fez o anúncio.  O acesso a água era um dos maiores problemas enfrentados pelo município.  Gilson já havia destacado em entrevista ao blog que essa seria sua prioridade.

05 DE ABRIL DE 2021

INICIADA OBRA DE RAMAL DA ADUTORA DO PAJEÚ EM BREJINHO

FONTE: nilljunior.com.br (clique aqui) 



Por André Luis

Nesta segunda-feira (05.04), em parceria com a Compesa, a Prefeitura de brejinho deu início a obra de construção do ramal da Adutora do Pajeú.

A obra busca resolver o problema hídrico da cidade, levando água do trecho do Ambó até o município.

O prefeito Gilson Bento, junto com o engenheiro e Gerente Regional da Compesa, Gileno Gomes, do engenheiro Wiliam e da coordenadora Rúbia de Freitas, acompanhou o início das escavações.

“Todos sabem a importância que tem a conclusão dessa obra, que irá sanar a necessidade de água da nossa população que há muito tempo sofre com a sua escassez”, destacou o prefeito.

A obra havia sido anunciada por Gilson Bento, no ato de comemoração da emancipação política de Brejinho.

 

07 DE ABRIL DE 2021

EX-PREFEITA TAMBÉM COMEMORA ANÚNCIO DE RAMAL PARA BREJINHO

FONTE: nilljunior.com.br (clique aqui)



O Deputado Estadual Aglailson Victor e a Diretora Presidente da Compesa, Manuela Marinho, comemoraram em vídeo o início das obras de abastecimento de água do município de Brejinho, levando as águas da transposição do Rio São Francisco, do trecho que liga o Ambó ao centro do município.

Socialistas na cidade afirmaram em nota que “esta que era uma luta antiga do ex-prefeito José Vanderlei e da ex-prefeita Tânia Maria e foi atendida pelo Governador Paulo Câmara, sendo resultado da nossa reivindicação com Governo do Estado”. E conclui: “Em breve a população contará com um melhor abastecimento na região, colocando um fim ao rodízio que precisavam enfrentar”.

 

21 DE MAIO DE 2021

PREFEITO COMEMORA RAMAL PARA ADUTORA DE BREJINHO

FONTE: nilljunior.com.br (clique aqui)



O prefeito de Brejinho, Gilson Bento, comemorou em nota a informação da conclusão da obra emergencial do ramal provisório que trará água do Ambó para Brejinho.

“Através dos esforços do Deputado Federal Silvio Costa Filho e do Deputado Estadual Gustavo Gouveia, com recursos próprios  e o apoio da população, cumprimos nossa parte na parceria firmada com a Compesa, aos quais agradecemos pela disponibilidade e compromisso com Brejinho”.

“Esta obra, que é do povo Brejinhense, significa a realização do nosso sonho de não sofrer com a estiagem e representa a chegada de dias melhores para a nossa amada cidade”, concluiu.

 

26 DE MAIO DE 2021

COMPESA AINDA NÃO LIGOU REDE FEITA POR MUNICÍPIO À ADUTORA EM BREJINHO



Pode parecer brincadeira, mas a população de Brejinho está tendo que se mobilizar nas redes sociais para que a COMPESA faça a ligação do ramal para captação de água da adutora do Pajeú. A prefeitura diz que já cumpriu sua participação no acordo.

“Não podemos mais ficar abastecidos de uma água onde os dejetos são despejados. A água do São Francisco está a nossa porta”, diz um comunicado nas redes sociais.

“A COMPESA, que recebe cerca de R$ 70 mil dos contribuintes brejinhenses não pode ficar cobrando o mesmo valor sem abastecer nossas casas. Não pode deixar o povo abastecido de água de esgoto, que também está se acabando, enquanto a tubulação está pronta para trazer as águas do rio”, reclamam em rede social.

“Não se pode regredir para o carro-pipa enquanto o progresso está encanado. Vamos mobilizar as redes sociais e pedir a ligação do ramal”, conclui. O ramal da adutora foi fruto de uma disputa política local entre o atual prefeito, Gilson Bento, e o grupo dos ex-prefeitos José Vanderley e Tânia Maria. Atualmente a cidade só tem água dois dias por mês de um açude que de tão contaminado é chamado “Açude da Bosta”.

 

28 DE MAIO DE 2021

COMPESA DIZ QUE FARÁ VISTORIA EM REDE E CONSTRUIRÁ NOVA ESTAÇÃO ELEVATÓRIA PARA ABASTECER BREJINHO

FONTE: nilljunior.com.br (clique aqui)

A COMPESA respondeu em nota ao questionamento do blog pela demora alegada pela população e lideranças locais como o prefeito Gilson Bento para que faça a ligação do ramal para captação de água da adutora do Pajeú.

A prefeitura diz que já cumpriu sua participação no acordo. Leia a nota:

Há 50 anos trabalhando em prol do saneamento de Pernambuco, a Compesa tem investido sistematicamente em projetos e obras que visam à universalização dos serviços de saneamento no Estado. O Governo de Pernambuco, por meio da Companhia, tem dado uma atenção redobrada à questão do abastecimento.

Nos últimos anos foram investidos mais de R$ 4 bilhões, e para este ano a previsão é recursos da ordem de 1,2 bilhão, em obras de abastecimento de água e esgotamento sanitário, com grandes empreendimentos estruturadores em curso. A Compesa segue trabalhando para universalizar o saneamento em Pernambuco, garantindo que, cada vez mais, a população tenha acesso aos serviços de água e esgotamento sanitário.

Sensível e atenta à questão do município de Brejinho, a Compesa vem acompanhando a situação dos mananciais da região em busca de soluções que cumpram as normas técnicas de segurança e qualidade da água.

Desta forma e diante do quadro de urgência, a Companhia está preparada para a execução das obras necessárias para que a tubulação implantada, que ainda passará por uma avaliação com o objetivo de comprovar se foram assentadas dentro dos padrões técnicos exigidos, tenha funcionalidade e seja interligada ao Sistema Adutor do Oeste. Para que isso ocorra, é preciso que seja construída uma nova estação elevatória, iniciativa que estava sob responsabilidade do DNOCS.

Porém, com o objetivo de antecipar e de resolver, em definitivo, a questão do abastecimento para a população de Brejinho, o Governo do Estado, recomendou a execução da obra pela Compesa.

Neste sentido, a Companhia está aguardando algumas definições com o Ministério Público para realizar as devidas vistorias na execução da obra e iniciar imediatamente as intervenções.

Comentários